"Pride and Prejudice and Zombies" transforma o clássico de Jane Austin em saga de horror trash

por Malu Porto - 7 de outubro de 2009

Parece que o século XXI chegou ao mundo da cultura quebrando todos paradigmas, metendo o pé na porta e proferindo o lema: “ninguém é de ninguém!”.

Primeiro na música, com os inusitados Mashups que mesclam ritmos e bandas como Nirvana e Rick Astley, Sepultura e lambada.

Depois foi o cinema que ganhou curiosas repaginações de gênero e enredo, fazendo a febre dos internautas no Youtube.

Agora, a bola da vez é da literatura.

Tente imaginar o inimaginável, aquilo que transcende qualquer barreira do nonsense: pense na trama de um dos bucólicos romances de Jane Austen sendo invadida por uma praga de zumbis enlouquecidos.

Forcei a barra? O pior é que não, pois é exatamente isto que acontece com o novo best-seller norte-americano “Pride and Prejudice and Zombies” (Orgulho e Preconceito e Zumbis).

Escrito, ou coescrito, pelo roteirista de televisão Seth Grahame-Smith, o livro é um tipo de "copy-paste" do clássico de Austen, em que Seth apenas substituiu algumas passagens para ditar o tom de “horror trash”, com direito a vísceras, matanças sanguinolentas, cadáveres apodrecendo, luta de espada ninja e canibalismo. O conteúdo é 85% original de Jane, por isso mesmo que na capa vemos uma obra escrita “a quatro mãos”.



Para se ter uma ideia, o início do original “Orgulho e Preconceito”, escrito nos idos 1813, que conta a saga das adoráveis irmãs Bennet e sua busca para conseguir um marido na elitista e aristocrática sociedade britânica, começava assim: “It is a truth universally acknowledged, that a single man in possession of a good fortune, must be in want of a wife.”*

Na versão de “Orgulho e Preconceito e Zumbis” a frase é parodiada desta forma: "It is a truth universally acknowledged that a zombie in possession of brains must be in want of more brains."**

Em entrevista ao NY Times, o escritor afirma que foi obrigado a ler o romance em questão durante seu tempo de colégio, mas que a história o “levou às lágrimas de tanto tédio”, então decidiu acrescentar ação e violência para torná-lo um pouco mais divertido aos leitores. Bom, se for o caso então, eu sugiro "Iracema", de José de Alencar", versão "Christiane F.".

E você, o que pensa desses mashups literários?

------------------------------------------------------------
* É uma verdade universalmente conhecida que um homem solteiro, possuidor de uma boa fortuna, deve estar necessitado de esposa. - tradução de Lúcio Cardoso.

** É uma verdade universalmente conhecida que um zumbi, possuidor de cérebros, deve estar necessitando de mais cérebros.

Matéria retirada do Blog: http://www.colheradacultural.com.br/content/20091007011546.000.4-M.php
Postar um comentário