ENTREVISTAS

Um DJ convidado não é apenas um amigo que vai apertar uns botões para alguém na pista dançar. Um DJ convidado não é apenas um nome no cartaz que algumas horas após a festa ninguém além dos amigos vai lembrar. Acreditamos que um Dj convidado tem muito a dizer sim. Por isso resolvemos entrevistar as pessoas que nos darão a honra de tocar alguns minutos dia 25/04, pois sabemos que existe algo a ser dito. Com vocês os Dj’s convidados.


*


Junio Kostas além de explorar um trabalho autoral como DJ, também usa a vídeo-arte em suas experimentações musicais. Do intimismo ao dançante é perfeito para quem gosta tanto de dançar como de refletir.

JR Kostas

CONTROL - Como começou seu trabalho com a discotecagem?

KOSTAS - Comecei em 2005, portanto há quatro anos atrás, quando me juntei a dois outros djs para organizar uma festa.

Iniciei tocando num Denon e depois passei a tocar em máquinas da Pioneer, o que me deu um bom conhecimento de mixagens e efeitos em tempo real.

CONTROL - A vídeo arte veio em que momento e abordando o que exatamente?

KOSTAS - Comecei a produzir vídeos de forma experimental decupando imagens de filmes de terror e ficção científica, justamente pra rodar nas festas que produzíamos. Em 2006 lancei uma panfletagem numa apresentação de um projeto chamado Manifest For Cyborgs, na Scorpions Bar, e nessa ocasião apresentei também alguns vídeos que fiz num cemitério.

CONTROL - Fale um pouco sobre o projeto musical autoral que você tem.

KOSTAS - O meu projeto se chama Silentio Deum Cole. Iniciei-o ano passado (2008) com uma proposta de ambientar insights filosóficos baseados em tratados de filosofia hermética, alquimia e ocultismo. Graças à internet, pude divulgar em várias labels e locais virtuais, tendo sido ouvido por muitas pessoas de várias partes do mundo. De certa forma o projeto vem sendo bem elogiado, por ouvintes do Brasil e de outros países. Posso caracterizar meu estilo entre o ritual, gótico, experimental e dark ambient, e devido às nuances medievais e obscuras que trabalho, é um tipo de som que tem uma relação maior com a cena européia.

CONTROL - Existe uma quantidade enorme de festas em Belém, isso é uma necessidade ou uma nuvem passageira?

KOSTAS - Naturalmente as pessoas têm necessidade de festas; de locais onde possam se encontrar, refugiar-se ou serem vistas. Se há poucas festas é sinal que há algo errado numa cidade. Belém há alguns anos atrás também fervilhava de festas. Talvez haja um processo oscilatório natural que faça parecer que em determinados momentos a quantidade de festas diminui. Mas isso é ilusório, pois elas sempre estarão aí.

Creio que a quantidade de festas deva ser proporcional à demanda por elas, caso contrário, veremos muitas festas com públicos vazios, afinal, não cola fazer uma festa para uma cena que ainda não existe.

CONTROL - Considerações para a festa.

KOSTAS - Espero que seja como todos esperamos. Vou tocar na pista coisas mais antigas dentro do eletronico e do synth pop. No lounge darei uma pequena mostra do meu projeto e, se minha CPU agüentar, farei umas experiências sonoras em tempo real.

Muito obrigado pela entrevista. Sucesso a todos.

Myspace do Silentio Deum

www.myspace.com/silentiocole


*


Luciana traz consigo a energia da juventude em seus sets nada convencionais, Participando da nova produtora de festas de Belém, a “Ai Caralio” Luciana não teme ousar na pista. Ideal para que não gosta do lugar comum.

Luciana

CONTROL - Como começou essa história de discotecagem?

LUCIANA - Pensa comigo: É melhor ir para uma festa pagando 10 reais de entrada, mais 4 em cada cerveja para ouvir música escrota e não pegar e nem conhecer ninguém ou ir para festa na faixa, ter direito a dois acompanhantes, beber de graça, ouvir todas as suas musicas favoritas, pegar o loiro o moreno o ruivo o preto, conhecer uma galera bacana e simpática e pelo menos um individuo chegar contigo, te dar um abraço apertado dizendo: "Você é foda?” Rs

CONTROL - O que é mais difícil na hora de assumir as Pickups?

LUCIANA - Primeiro, eu não opero pickup. Nem Lp eu tenho em casa, pois meu amor pelo rock é de fechada, só serve para impressionar pessoas influentes. O aparelho que eu opero, o CDJ é muito simples: Você basicamente só aperta dois botõezinhos e põe um pouco de feeling para dar um up na atividade. O mais difícil é perceber alguém tentando fazer fotos da sua apresentação e permanecer com uma expressão de indiferença. Responder elogio também é bastante complicado :)

CONTROL - O que um dj precisa pra manter a pista acesa?

LUCIANA - Dois litros de gasolina e um reluzente isqueiro zippo funcionam muito melhor que qualquer bandinha britânica de trip hop

CONTROL - O que é mais chato nas festas de Belém?

LUCIANA - Essa coisa de rótulo, né? Quando as pessoas vão conseguir perceber que as tribos já acabaram há pelo menos uma década? Mas ainda existe algo pior que a cretinice: Fazer piadinhas com a expressão "new rave" ou qualquer outra que nos façam parecer papagaios da mídia especializada, e tocar The Strokes. É o tipo da coisa: Pelo fato de ser uma banda com um grande apelo, naturalmente as pessoas vão pirar. Mas depois você pode ter certeza que depois de ter dançado todas eles mesmos vão dizer "esse set tava uma bosta, né?", e com toda razão, pois ali não havia criatividade.

CONTROL - Considerações para a festa.

LUCIANA - Gente, eu juro pela vida de você que essa festa vai ser ótima, sério mesmo! Neste momento convoco todos os garotos e garotas do meu Pará a participarem desta grande orgia que vai ocorrer no Comunicarte dia 25. Beijos no coração.


*


Mayara traz consigo a energia de Macapá, uma cena que já nos rendeu bandas como Stereovitrola e Mini Box Lunar. Com uma proposta mais voltada ao indie e ao pop Mayara, que participa de um coletivo em sua cidade natal, não deixará ninguém parado.

Mayara La-Rocque

CONTROL - Como começou essas história de discotecagem?

CONTROL - Como é a cena de Macapá em relação às festas?

CONTROL - Fale um pouco do seu coletivo.

CONTROL - O que você acha da cena de festas em Belém?

CONTROL - Considerações para a festa.


MAYARA - Cara, Macapá é um breu com algumas ruas transversais e paralelas, e numa delas, existe um bar chamado Liverpool, que nas sextas feiras salvava a galera que curtia Rock and Roll, com a única banda que prestava na cidade e que produzia trabalhos autorais que era a Stereovitrola; o resto, era à frente da cidade (a chamada Beira Rio), com as cervejas do velho bar do ”velho-jovem” Biro. Mas de tantas sextas feiras, de tantas stereovitrolas e de tantos biro biros, uma hora deu no saco, e eis que surge o Coletivo Palafita pra tirar onda e improvisar umas rockadas. Mas aí o negócio começou a andar e começamos desenvolver várias atividades ligadas ao Circuito Fora do Eixo de Cuiabá, como o Grito Rock, e também as festas do “Palafita na fita”, com bandas, exposições artísticas, intervenções, etc, e que foi onde começou a minha história com discotecagens. E bem, acho que em Belém não é tããoo mais diferente assim. O que rola é que a cidade é mais iluminada, com bem mais ruas paralelas e transversais, e existem mais bares, bares e bares. (rs) Ah, e têm mais coletivos e produtoras que produzem festas legais pra sair um pouco dessa mesmice de bar bar e bar. E é com esse mesmo intuito que entra o Coletivo De La-Rocks liderado por duas mulheres, Déborah Gadelha e eu, Mayara La-Rocque, e mais parceiros. Nossa proposta é fomentar cada vez mais o cenário local do Rock na Roll, promovendo eventos que divulguem e valorizem os trabalhos autorais das bandas independentes regionais e nacionais, e de quebra, com muita discotecagem para se curtir e dançar o bom e velho Rock and Roll. E bicho, eu só tenho a dizer que eu espero que o ”Rock para as massas“ seja do caralho, que não dá pra ninguém ficar de fora com esse mega e super barato preço, e que eu possa contribuir com o meu set pra a verdadeira socialização do Rock! Ah, e que outros super baratos venham por aí...


Serviço:

CONTROL APRESENTA

ROCK PARA AS MASSAS

Location: Pub Comunicarte

Data: 25/04

Hora: 20:00

Preço: $5,00 (Preço Social, mas só depois das 22:00h)


Dj’s Control

and

Dj’s Convidados

Dj Jr. Kostas

Dj Luciana

Dj Mayara La Rocque (AP)


Mais:

Banda Van Pelts (Rock Alternativo)

Exibição do documentário Joy Division (2007)

A emocionante disputa entre Joy Division x Interpol


Fotolog:

http://www.fotolog.com.br/fotologcontrol08


Comunidade:

http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?cmm=45100369

Postar um comentário