CINEMA




SESSÃO CULT - 22/08/09

"Do mundo nada se leva", de Frank Capra (EUA, 1938)

Título Original: You can't it with you Direção: Frank Capra Ano: 1938. País:EUA. Gênero: Comédia/Romance Roteiro: Robert Riskin de uma peça de George D. Kaufman e Moss Hart Fotografia:Joseph Walker. Música:Dimitri Tiomkim.Elenco: Lionel Barrymore, James Stewart, Jean Arthur, Edward Arnold e Ann Miller. Cor: PB. Duração: 126 min. Classificação: Livre

Sinopse: Tony Kirby (James Stewart) é um rapaz rico e de família difícil. Alice Sycamore (Jean Arthur) é sua secretária, de família mais humilde. Ambos estão apaixonados e pretendendo se casar. Quando as famílias resolvem se conhecerem, Anthony P. Kirby (Edward Arnold), o pai de Tony, descobre que o pai de Alice é dono de um pequeno terreno em uma área comercial que era de seu interesse, e não a vende de jeito nenhum. No meio de muita confusão, todos percebem os verdadeiros valores da vida antes que seja tarde demais.

Sábado – 22 de agosto - às 16:00

Entrada Franca- Parceria ACCPA-Associação de críticos de cinema do Pará

CINE LÍBERO LUXARDO - Fundação Tancredo Neves - Centur

SESSÃO MALDITA - 29/08/09 - ENTRADA FRANCA!

CINE LÍBERO LUXARDO DO CENTUR E APJCC APRESENTAM
SESSÃO MALDITA: “BUNNY LAKE DESAPARECEU”
DIREÇÃO: OTTO PREMINGER
DIA: 29/08/2009, ÀS 21H 30. ENTRADA FRANCA

‘Bunny Lake Desapareceu’ (Bunny Lake is Missing, 1965) Direção: Otto Preminger.Ingl.107min.

Sinopse: Ann muda-se para Londres e entra em pânico quando não encontra sua filha na saída de seu primeiro dia de escola. Ann notifica o sumiço de Bunny Lake à polícia. Ao longo da investigação ninguém se lembra de ter visto a criança e não há qualquer vestígio de que ela exista, fazendo com que todos pensem que Ann esteja tendo alucinações.


Notas sobre o diretor e sua obra

Otto Preminger é austríaco e se tornou um dos grandes diretores na poderosa Hollywood. Tinha fama de ser um homem descontrolado no set, chegando a humilhar os atores e esbofetear as atrizes com quem trabalhou. “Laura” e “Anatomia de Um Crime” são seus trabalhos mais citados pela crítica. “Laura” abriu ao diretor um grande caminho nos Estados Unidos, foi sucesso de crítica e público e lhe deu carta branca para que ele criasse uma das grandes e sublimes filmografia da Hollywood clássica. Deixou obras em todos os gêneros cinematográficos. Tinha apreço pelos temas que sublinhavam os desvios morais e conflitos comportamentais. A obra “Bunny Lake Desapareceu”, de 1965, foi apedrejada pela crítica na época de seu lançamento e colocada no forno. O filme narra a história de uma mãe desesperada, em busca de sua filha desaparecida. O filme para muitos é o patinho feio dentro da vasta filmografia do diretor. “Bunny Lake Desapareceu” é exuberante em toda sua operação. A câmera elegante de Preminger encontra o sentido cinematográfico e domina os espaços. Cada plano na obra mobiliza certa urgência imagética, nos primeiros segundos podemos sentir o cheiro de cada peça da casa, os objetos na parede, a cama, o lençol. A trama psicológica é invadida por uma vitrine sombria, liberada por uma mise-en-scène latente e perturbadora. Sequências belíssimas compõem o jogo de Otto Preminger: a cena da loja das bonecas, o desfecho delirante e pesado. É em cada travelling, em cada plano, e em cada passo emocional dado pelos personagens, que iremos encontrar a força de “Bunny Lake Desapareceu”, elegantemente traçada por um dos grandes filhos de Hollywood.

Aerton Martins- APJCC (Associação Paraense de Jovens Críticos de Cinema)
Postar um comentário